fbpx

Como ter uma motivação que não muda?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Se você vive buscando algo para se sentir motivado, e vai tomando uma série de decisões sem saber onde isso vai dar, e no fim, parece que nada chega de fato a um lugar, saiba, dá para mudar isso e viver motivado em qualquer circunstância
motivação

Em qual motivação estão baseadas as suas decisões? Você já pensou nisso?

O filme Pequena Grande Vida (Downsizing, 2017) do diretor Alexander Payne traz muitos elementos que nos permitem refletir sobre isso. No filme, o terapeuta ocupacional Paul Safranake (Matt Damon) vive uma vida de um cidadão de classe média, com muitas dívidas e dificuldades de atender os anseios da esposa por uma melhor qualidade de vida. Assim, ele vê no processo de encolhimento uma solução para suas dificuldades financeiras. No filme, o procedimento criado por cientistas noruegueses visa salvar o planeta da destruição em função da superpopulação e deterioração do meio ambiente, mas é vendido como uma forma de alcançar o sonho americano, e ainda para outros interesses, como punição e exílio em alguns países. 

Quando chega o momento de passar pelo procedimento, Safranek conclui o processo irreversível, mas a esposa desiste no meio do caminho, fazendo com que todos os planos anteriormente arquitetados caíssem por terra. A vida luxuosa e sem necessidade de trabalho vira, de novo, uma vida de um trabalhador da classe média, divorciado, tentando sobreviver e encontrar uma realização. 

O desenrolar do filme vai trazendo personagens e situações inusitadas, e promovendo encontros que o ajudam o personagem a retomar a motivação de cuidar das pessoas, e até a rever as suas motivações a partir de novas perspectivas.  Entre eles está o bon vivant Dusan Mirkovic (Christoph Waltz), que é vizinho de Paul, e a vietnamita Ngoc Lan Tran (Hog Chau), que foi encolhida por punição e exilada ilegalmente em uma caixa de TV para o EUA após ter sido presa por um protesto contra o governo do seu país. Quando Paul a conhece, e toma contato com o trabalho que ela desenvolve, ele passa a ajudá-la.  São as decisões que Paul tem ao longo do filme que vão o levando a cenários novos, e a esses encontros, que nada têm a ver com o que ele fazia e esperava no início do filme. 

O filme traz essa reflexão sobre o tamanho da nossa vivência no mundo estar atrelado à nossa motivação, que são a base de nossas decisões, e que trazem resultados compatíveis com essas escolhas. Enquanto a há personagens que trazem inovações como essa com o intuito de salvar o planeta, como os cientistas, há outros que lucram com essa situação, como o Dejan, que vive de contrabandear produtos como charutos, e bebidas para o mundo pequeno, e que conseguia fazer isso tendo a esposa no mundo, ou como ainda o amigo de Paul, Dave (Jason Sudeikis), que vive uma vida luxuosa no mundo pequeno. Mas para Paul não bastava isso. 

No caso do Paul, por exemplo, com a motivação de dar uma melhor condição de vida para a esposa, ele decidiu pelo encolhimento. Mas essa expectativa logo foi frustrada. Aí ele até tenta sair com alguém para cumprir tabela, mas nessa ele se frustra novamente e decide ir para uma festa na casa do vizinho, e na festa, ele decide ingerir um comprimido que o deixa bem alterado. Nesse estado, ele dorme no apartamento do amigo, e no dia seguinte conhece a faxineira Ngo, que utiliza uma prótese desgastada. Na intenção de ajudá-la, ela o leva para cuidar das pessoas, que é onde ele realmente se sente motivado, e sempre se sentiu. 

Mas nessa trajetória é importante ver a quantidade de decisões tomadas para que ele encontre uma nova motivação. Até então, diante da motivação de fazer o seu casamento feliz se frustrar, ele se deprimiu, e foi vivendo de acordo com os dias. Mas no fim, todas as decisões o levaram para o lugar onde ele reencontrou algo que pudesse animá-lo  novamente. 

Nossa motivação e nossas decisões 

Trazendo isso pra nosso dia a dia, é fácil perceber que temos muitas motivações ao longo de nossa trajetória. Uma hora você quer um emprego novo, outra quer emagrecer, outra quer ganhar mais dinheiro, quer fazer uma viagem, quer meditar. Mas o lance é que as bases da motivação vão mudando, e quando uma não dá certo, se procura outra, pois na ausência de uma motivação, você se sente desanimado até para seguir em frente. E cada motivação, pede novas decisões. Quando você quer ter um estilo de vida mais saudável, procura não abusar das horas de trabalho, mas se sua motivação é ganhar um aumento, isso talvez mude de figura. 

Ou até como no caso do filme, você vai tomando pequenas decisões em busca de uma motivação, e nem imagina o quanto aquilo pode mudar completamente o seu cenário, a sua caminhada. 

Diante disso, será que existe um jeito de estar 100% seguro quanto às decisões que toma, e encontra uma motivação que está além das coisas, e que não muda nunca? Você pode estar doente, e sua motivação não acaba, pode ficar sem dinheiro, e a motivação não acaba, ou qualquer outra dificuldade, e sua motivação não muda, por não estar atrelada às circunstâncias. 

Com esse questionamento, nos comentários da CineAula em que assistimos esse filme, Kaw Yin e Yan Yin foram categóricos: claro que há, se não houvesse, ninguém daria conta de viver nesse mundo. 

E qual é essa motivação? 

A nossa motivação está na nossa origem, no que somos. Existe um motivo para existirmos, e esse objetivo é compartilhar o Amor que somos, é viver o Amor que somos. 

Qual é o motivo da vida do espírito? O objetivo é Deus. O que tem em Deus? Amor. O objetivo da vida é amar, viver em estado de amor, compartilhar a vida em existência, em pleno estado de Amor, esse propósito nunca vai se perder. 

Todas as circunstâncias são oportunidades de amar, e de voltar pra Deus. Se você colocar isso como sua meta de vida, você vai se levantar todos os dias muito animado para viver isso,e não importa o que esteja acontecendo. Você quer amar as pessoas, botar pra rodar o amor que você tem na condição de espírito”, disse Kaw Yin. 

Se conseguir alcançar esse lugar, você alcança uma estabilidade emocional. A gente está passando por uma pandemia, e a gente não sabe onde isso vai dar, mas se você se mantém nisso, você ajuda a ficar bem, estável, e aí a gente fica bem. Porque não está nas coisas, mas o contato com o que a gente é de verdade é a única coisa que pode te trazer a estabilidade. A gente fez esse podcast essa semana, dizendo que todo mundo quer ser feliz, quer viver em paz, mas o mundo faz com que você fique muito desfocado do seu espírito. E você se envolve com isso, e se esquece de você. E quando a gente consegue recuperar esse centro, você consegue se manter bem. Isso é uma prática, um treino, isso é acessível mesmo. Se está na sua alma, é seu, é você, e você só precisa se lembrar. É mais simples do que aprender”, reiterou Yan Yin. 

O filme foi uma grande oportunidade de reolhar pra isso, e nos inspirarmos a encontrar a motivação que nunca muda. Amém. 

Filme: Pequena Grande Vida (Dowsizing, 2017) 
Diretor: Alexander Payne
Elenco: Matt Damon, Christoph Waltz, Hong Chau, Jason Sudeikis, Kristen Wiig.
Onde assistir: Amazon Prime Video 

Deixe um comentário:

Assine Nossa good news!

Você receberá um e-mail aos domingos com nossa News

Coexiste Good News

Coexiste Good News

Receba as novidades da Coexiste em seu e-mail!

Assine
a newsletter da Coexiste

Você sabia que pode receber no seu email a curadoria dos principais conteúdos da semana da Coexiste? Assine e receba Coexiste Good News todo domingo de manhã ☕️💌

Ao assinar a newsletter, você aceita nossa política de privacidade