fbpx

Não se reprimir não significa fazer

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Você já se sentiu reprimido? Já se sentiu impedido de fazer algo? Já experimentou a sensação de “quero, mas não posso”? Pois é… a sensação de repressão é algo presente no dia-a-dia de qualquer ser humano. O que é a sensação de repressão? Como se livrar disso? Como se sentir realmente livre?
Repressão

Roteiro do episódio 91 “Não se reprimir não significa fazer”, do podcast Não Dá Para Desouvir com Kaw Yin e Yan Yin, sobre repressão.

Você já pensou sobre o que é repressão?

Você não reprime os seus atos, você reprime a sua mente.

Você reprime o poder criativo da sua mente.

Você reprime a sua vida, não permitindo que a sua mente acesse a sua vida.

Você constrange a sua mente em uma visão limitada ao restrito roteiro que você gerou para o seu limitado trânsito, no limitado mundo, a partir de um pacto assumido entre todos que você convida e que aceitam esse pacto projetado, no que você chama de seu limitado cotidiano, seu limitado mundo e sua limitada vida.

Não há nada que se possa fazer no mundo que elimine a sensação de estar se reprimindo porque tudo o que você faz está baseado no que você pensa e os seus pensamentos estão mantendo a sua vida constrangida e a sua mente focada no que não é a sua liberdade de usufruir da sua mente como um agente a serviço da sua vida, cuja realidade é espiritual e não é física como afirmam os seus pensamentos te aprisionando em expectativas de realização no nível das imagens.

Porém há o que se possa fazer de consistente e de forma realista no nível da mente e, após a correção na mente, poder aplicar no mundo, como um meio de compartilhar as conquistas alcançadas na mente. Isso é possível porque a mente não é separada.

Como então eliminar a sensação de estar reprimido? Como fazer isso começando pela mente e aplicando no mundo? Como podemos transitar no mundo fazendo o que tem que ser feito sem a sensação de repressão ao seu querer?

Há, no mundo, uma ideia de que não se reprimir é fazer tudo o que der na cabeça e na hora que der na cabeça. Isso muita gente já faz e a sensação de estar se reprimindo continua.

Onde está a verdadeira liberdade? Como posso me sentir livre no mundo a partir de me sentir livre na mente?

O primeiro passo é você aceitar a verdade de que você já é livre e se você está se reprimindo, é porque você está vivenciando algo que não é condizente com a verdade sobre você.

Outro passo é você também aceitar que ninguém está reprimindo você e nem reprimiu no passado.

Talvez você encontre dificuldade de aceitar que isso é assim, mas, se você quiser acelerar o seu processo de autoliberação, é melhor você crer para ver do que esperar ver para crer, porque, segundo as suas crenças, você não é totalmente livre e também já foi muito reprimido por muita gente ou pelo sistema vigente no cenário dentro do qual você transitou até hoje.

Então não dá para você depender das suas crenças para ver algo diferente, né? 

Para ver algo diferente, você vai ter que aceitar algo que não tem no seu sistema de crenças: o fato que que você é absolutamente livre e que ninguém pode te reprimir. 

Você foi criado assim por Deus: Livre. 

Mas há uma questão extremamente limitante em seu sistema de pensar que é o fato de que são as suas crenças que dirigem a sua percepção, o que faz com que as suas crenças determinem o que você percebe, o que faz, também, que você não veja os fatos como realmente são, ou seja, mesmo você sendo livre, você não vai ver cenas que digam isso e mesmo que ninguém esteja reprimindo você, o que você vai perceber é outra coisa, você vai ficar com raiva de pessoas que você percebe que estão te reprimindo mesmo não estando.

É por isso que você precisa se convencer de que você é livre e que ninguém te reprime, independente do que você tem percebido, já que a sua percepção é condicionada ao que você decidiu acreditar.

Você precisa se determinar a entrar em contato com o que você realmente quer, a partir do que você realmente é. A partir disso, você vai começar a notar que as coisas começam a ficar mais visíveis. Você vai começar a notar que se você conseguiu ter consciência do que você realmente quer, você vai ver isso acontecendo na sua frente.

Você vai começar a gostar mais de você por estar sendo mais fiel ao que você de fato quer.

Mas, o que será que você, de fato, quer?

Comece olhando para uma coisa: você quer fazer ou sentir?

Você fica feliz ou não com o que você faz ou com o que você sente antes, durante ou depois de fazer?

Essa sensação ou esse sentir está em você ou fora de você?

Veja que essa sensação é interna e é essa sensação interna que tem que ser do jeito que você quer. 

O que você realmente quer é uma sensação interna que possa ser chamada de felicidade, de paz consigo mesmo, de plenitude, de autoaceitação, de estar se sentindo quite com a vida, de ser justo em seu discernimento e em suas ações e, acima de tudo, a sensação de amar e ser amado.

Se você estiver se sentindo dessa forma, o seu fazer será sempre repleto de prazer e de motivação constante. Não haverá desânimo e você estará sempre pronto e disponível para compartilhar com todos a sensação conquistada e, nisso você vai se empenhar em qualquer coisa que você esteja fazendo.

E nessa sensação, a ideia ou pseudo sensação de repressão é impossível, pois na sensação de disponibilidade e prontidão, você só vai sentir vontade do que realmente precisa ser feito. 

Você não vai ficar com vontade de fazer algo que não dá pra fazer agora, pois essa “vontade” (de fazer o que não dá ou não é possível) só aparece para confirmar crenças, e não porque você estava com vontade de verdade de fazer aquilo.

Então, nessa condição, não existe a sensação de “quero, mas não posso”, afinal, você está conectado com a sua real vontade, que é a mesma de Deus, e a mesma de todos, então, essa vontade vai fluir sem obstáculos até a sua manifestação física. Você não passa vontade, entende?

Pois é, talvez, agora, você esteja se perguntando: mas como eu faço para corrigir minhas sensações internas que, na verdade, só dependem de mim mesmo e de mais ninguém, porque, afinal, eu não tenho me sentido assim.

O fato de você aceitar que essa sensação estranha que você sente é interna e só depende de você, faz com que você pare de justificar no externo. Parando de justificar no externo, você vai ter que olhar para o interno, sem se distrair com as pseudo justificativas no externo.

Você vai, finalmente, dar mais atenção a você e vai parar de justificar insatisfações no externo, assim como vai parar de buscar a satisfação no fazer das coisas externas.

As suas buscas passarão a ser buscas pela correção do que você pensa sobre você, sobre os outros, sobre os relacionamentos, sobre a vida, sobre o mundo e sobre Deus.

Você passará a buscar respostas onde elas podem ser encontradas.

Isso é, verdadeiramente, a busca pelo autoconhecimento e pela sabedoria. Esse é um propósito que não tem como dar errado ou não ser alcançado. Essa decisão de alcançar o que já está em você é infalível porque, afinal, você está apenas querendo ver o que já é teu e que te foi dado por Deus para nunca mais ser perdido ou reprimido.

Esse é o seu verdadeiro querer e que nunca será reprimido por que é a Vontade de Deus prá você.

Esse é o querer que alcança a todos porque é o que todos querem.

Esse é o verdadeiro querer de um Ser que foi criado Livre.

Esse é o querer que, estando como prioritário em sua mente, vai te trazer a certeza de que você realmente não quer outra coisa e, nesse teu querer, você jamais se sentirá reprimido, porque tudo está a favor do sucesso disso.

Preste atenção nisso essa semana, e veja como você sempre alcança o que você quer, só não tinha consciência do que estava querendo de fato.

Preste atenção nessa em todas as semanas, no que você REALMENTE quer, e deixe que seu querer simplesmente flua, e, a partir disso, assista as coisas acontecendo diante de você.

Bora nesse treino, nessa atenção contínua, e boa semana para todos vocês!

Nos vemos no próximo episódio

Peça a Deus então a única coisa que você precisa realmente saber: 1-“o que sou eu” e 2- “o que esta cena está querendo me contar agora?”. Peça a Deus essa resposta e aceite tudo o que Deus te mandar como ferramentas para a realização do seu pedido. 

O seu pedido foi ouvido e aceito, pode confiar e aguardar as próximas cenas, porque elas serão as suas respostas. Observe o que chega, não julgue, faça silêncio e receba o que Deus pensa sobre você que Ele criou perfeito como Ele mesmo. 

Acredite, a sua percepção agora foi redirecionada. Peça a Deus que olhe tudo junto com você e descubra onde está a sua realização e a sua verdadeira paz.

Deixe um comentário:

Assine Nossa good news!

Você receberá um e-mail aos domingos com nossa News

Coexiste Good News

Coexiste Good News

Receba as novidades da Coexiste em seu e-mail!

Assine
a newsletter da Coexiste

Você sabia que pode receber no seu email a curadoria dos principais conteúdos da semana da Coexiste? Assine e receba Coexiste Good News todo domingo de manhã ☕️💌

Ao assinar a newsletter, você aceita nossa política de privacidade